Fundo futurista abstrato

Insights

Confira as vantagens do uso de tecnologia no banco de sangue


O processo de doação de sangue deve ser um processo seguro não só para atrair doadores, mas também para cumprir os regulamentos relativos a coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue, seus componentes e derivados conforme a Lei 10.205, de 2001.


No Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado hoje, 14 de junho, a Enfermeira e Consultora em Saúde Digital da FOLKS, Elaine Volpato, lista as principais vantagens do uso da tecnologia nos bancos de sangue. Confira:

  • Etapas mais seguras para o banco de sangue e para o doador

O uso de sistemas informatizados têm contribuído para tornar as etapas dos serviços de hemoterapia mais seguras logo na fase inicial de coleta, quando o doador é cadastrado e passa a ter um código de identificação. O mesmo acontece nas etapas de triagem clínica e hematológica, bem como nos resultados de exames, que também devem ser armazenados no banco de dados.

Dessa forma, quando o doador retorna ao serviço de hemoterapia, é possível ter acesso a todo o seu histórico de doação, sendo possível identificar o atendimento nos casos em que haja algum tipo de problema com a bolsa de sangue.

Os sistemas informatizados também se fazem de suma importância até mesmo na etapa de coleta de sangue, podendo auxiliar na identificação das bolsas principais e satélites e dos tubos para testes laboratoriais que, de acordo com a Anvisa, deve ser feita por sistema numérico ou alfanumérico e, preferencialmente, por código de barras, de forma a garantir a rastreabilidade do doador.

  • Processos ainda mais automatizados

Ter um Sistema de Gestão também contribui para um processo mais seguro e automatizado no momento da solicitação do hemocomponente para o paciente nos hospitais, clínicas e outros locais de saúde.

Quando a solicitação é realizada com o apoio de um sistema nos módulos de prescrição eletrônica, é possível garantir a comunicação efetiva da solicitação, vinculando-a a dados já disponíveis no sistema, como resultados de exames integrados (Hb, Ht, Plaquetas), assim como o peso do paciente, por exemplo.

  • Comunicação mais eficaz entre todas as pontas

Outra vantagem importante trazida pelo uso de tecnologia é a comunicação mais efetiva e eficaz entre o serviço de hemoterapia e o prescritor, tornando o processo de recepção da solicitação e preparo das bolsas mais seguro, ágil e automatizado.

Nesse caso, é importante que o sistema de gestão escolhido apoie a identificação de estoque e também as etapas de vinculação entre a solicitação, o receptor e os hemocomponentes, o registro dos exames realizados nas bolsas e o armazenamento das sorotecas, garantindo rastreabilidade na cadeia (doador, hemocomponente, receptor), trazendo segurança, efetividade e automatização ao processo.

  • Dados que salvam vidas

Especialmente em uma realidade em que a proteção de dados está em voga, por conta de medidas como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), o uso de tecnologia nos bancos de sangue também é capaz de garantir a identificação correta do receptor, que passará a ter um histórico dos hemocomponentes recebidos por ele.

Nesses casos, o uso de sistema também pode ser essencial para registrar uma possível reação transfusional que, em caso de uma nova solicitação, passará a fazer parte do histórico do paciente, permitindo que sejam tomadas todas as medidas de segurança.

Por meio do uso da tecnologia, que contribui para a automação de todo o processo de doação, há maior qualidade da transfusão, eliminando o risco de erros e assegurando mais agilidade em toda a operação.


E você, quer fazer parte dessa realidade com a sua instituição de saúde? Conte com a FOLKS: entre em contato conosco pela aba “Contato” aqui no nosso site ou envie um e-mail para folks@folks.la.

FOLKS e você: juntos pela transformação digital da saúde!





REFERÊNCIAS:

https://www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/fundacao-pro-sangue-valoriza-doacao-com-tecnologia/

https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/carga20170553/04145350-rdc-anvisa-34-2014.pdf

https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/carga20170553/04145349-lei-federal-10-205-2001.pdf